HomeCare

Ventilação HomeCare

Levar o paciente do hospital para o lar pode ter um impacto positivo profundo sobre sua atitude e saúde.

A Respire oferece aos pacientes soluções que tornam a ventilação menos invasiva e mais versátil, gerando maior benefício clínico e melhorando ainda mais a qualidade de vida e da saúde. enquanto usufruem de maior flexibilidade no domicílio.

Ventilação HomeCare

BIPAP Synchrony III Avaps Série 60 – Respironics

BIPAP Synchrony II

BIPAP A-30 System One Philips Respironics

Trilogy 100

Outros Problemas do Sono

É outro distúrbio do sono que ocorre numa pequena faixa de pessoas (0,03% da população geral), e caracteriza-se por uma sonolência excessiva e incontrolável, que pode ocorrer várias vezes ao dia. Esta sonolência pode ser desencadeada por situações de estresse que não são aliviadas com uma boa quantidade de sono à noite. Ocorre durante a fase REM do sono e o seu tratamento é medicamentoso.

É um distúrbio do sono benigno, caracterizado pela caminhada durante a noite dentro de casa, que ocorre em crianças e adolescentes, mais raramente no adulto jovem.
Deve-se sempre que possível reconduzir a pessoa à cama, sem despertá-la, pois será a forma mais confortável de lidar com esta situação. Não existe necessidade de tratamento com o uso de medicamentos, devendo-se somente ter cuidado para que não haja riscos de acidente.

Manifesta-se com o ranger dos dentes durante o período do sono. Durante o bruxismo, a força realizada sobre a musculatura e os dentes é excessiva, produzindo sintomas nos músculos da face e pescoço e nos dentes, como: dor facial, desconforto muscular principalmente ao morder, dor de cabeça, desgastes dos dentes e danos à gengiva. O principal sintoma é o desgaste do esmalte dos dentes e, por este motivo, é muitas vezes diagnosticado pelo dentista.

Na fase do sonho, ou seja, na fase REM, normalmente ocorre uma inibição ativa no sistema nervoso motor, que não permite a interação com o sonho. No caso do distúrbio comportamental do sono REM, esta inibição não ocorre , o que torna-se um risco, pois se o sonho é violento a pessoa reage com violência. Ocorrem mais comumente em pessoas idosas.

Caracteriza-se pelo despertar súbito, angustiante, confuso, acompanhado de gritos fortes, ansiedade extrema e medo intenso. Durante os episódios a pessoa passa a impressão de que está acordada, mas no entanto ela não atende aos estímulos para tranquiliza-la e nem aos estímulos do ambiente. Acomete crianças entre a idade escolar e adolescência, com predomínio do sexo feminino e a duração média é de 4 anos. O que diferencia o terror noturno dos pesadelos é o fato de que a pessoa não se lembra do que aconteceu. Sugere-se não despertá-la, pois isso somente irá aumentar a duração do episódio. Não existe necessidade de tratamento medicamentoso.

A pessoa desperta muito agitada, confusa e desorientada, podendo chorar de forma inconsolável. Durante os episódios a pessoa não responde às tentativas de consolo e se sente ameaçada.

São movimentos repetitivos das pernas que ocorrem durante o sono. São mais frequentes durante o sono não REM nos estágios 1 e 2, e acometem mais as pessoas idosas. Esses movimentos levam a uma fragmentação do sono, podendo causar um quadro de sonolência diurna excessiva. Pode estar associado a várias doenças, tais como: diabetes, anemia por deficiência de ferro, alcoolismo, insuficiência renal e uso de medicamentos (antidepressivos tricíclicos e barbitúricos). 

São movimentos incontroláveis das pernas, acompanhadas de sensação de formigamento e de peso intenso nas panturrilhas, obrigando a pessoa a levantar, caminhar e massagear as pernas. Pode ocorrer antes de dormir, mas também durante o sono provocando o despertar.

Rolar para o topo